Entrevista

Esses dias atrás, fuçando nos meus perfis online, achei essa entrevista que fiz no whohub, um site de empregos (aliás, quem quiser fazer sua entrevista lá, tem pra várias áreas de atuação), há um tempão atrás. Achei válido postar ela aqui, com algumas mudanças, pra atualizar o negócio né?


Entrevista Ainon 


Qual é sua especialidade em ilustração?
Ilustração editorial, publicitária e artística.
Utilizando técnicas digitais e/ou tradicionais como pintura digital, ilustração vetorial, pintura e colorização tradicional (aquarela, pastel, óleo, esmalte sintético), técnicas mistas e outras mais que surgirem por aí.

Como são seus clientes habituais, que esperam de você?
Geralmente são agências de publicidade que desejam algo para ontem, em finais de semana ou em quaisquer outro prazo super apertado. 
Gosto bastante da área editorial, a qual me dedico largamente, ilustro para a Revista Meio&Mídia Cult, convido ilustradores a participarem às vezes e gosto de estar sempre em contato com esta área que tanto me satisfaz, por possuir uma certa despretensão e liberdade quanto à ilustração.
Clientes leigos também fazem parte da minha carteira, gente que me procura para desenvolver uma caricatura, uma ilustração e design para um convite, um mascote, uma tela para decoração, pintura em paredes ou qualquer outro trabalho que surja em mente.

Onde podemos ver seu portfólio online?
Aqui mesmo, no site, mais especificamente no link do Portfolio.
Tem também meu deviantart, onde eu posto trabalhos também, há um tempão, lá tem muita coisa antiga! Dá medo, hahahhaa!

Você realizou estudos formais de arte, ou é autodidata?
fiz um curso de desenho no ano de 2002, só.
E agora eu já tô quase me formando em Design Gráfico pela ESAMC Uberlândia.

Como você conseguiu sua primeira encomenda paga? Em que consistia?
Era um quadrinho para um dentista, uma página na Revista Cult, lá pra meados de 2006. Precisava ser feito em corel e eu não sabia mexer, porém falei que sabia e aceitei o desafio, tinha três dias pra entregar, virei as duas noites e entreguei: feio, torto, horrível pra ser sincero, mas que me abriu TODAS as portas possíveis. Quem quiser ver ó: Dr. Bilzinho no deviantart.

Que ilustradores históricos ou contemporâneos você mais admira?
gosto muito das ilustrações do Alphonse Mucha, ilustrador polonês eu acho, não me lembro, depois google it. Mestre da Art Nouveau, possui obras maravilhosas que encantam e inspiram até hoje um milhão de artistas, o traço do cara é INDESCRITÍVEL!!! Moderníssimo e tal. 
Leonardo da Vinci, Raphael Sanzio e Michelangelo são três Renascentistas que também me fazem a cabeça, me impressiona a multidisciplinaridade deles. Leonardo da Vinci era de tudo, pintor, desenhista, inventor, arquiteto, engenheiro, pesquisava anatomia, enfim. Raphael me impressiona por ter tido tantos trabalhos maravilhosos sendo tão novo, com 18 o cara já era arquiteto oficial do Vaticano. Michelangelo nem se fala, Sonho em visitar a Capela Sistina.
dos contemporâneos gosto de muitos, nem vale citar. Porém costumo me inspirar bastante no Stanley Lau, coreano que pra mim é o exemplo de que se pode vencer nessa área independente de onde nasceu, onde estudou, fazer o que gosta e com dedicação é o que rola. A dica fica pra essa entrevista que o Stanley deu no deviantart, clica aqui.

Em que se parece o que você desenha hoje ao que desenhava durante sua infância?
Em que mudou?
A temática ainda se parece muito. Eu desenhava muitas criaturas bizarras, mulheres, roupas, máquinas, enfim, coisa de criança, mas nunca parei.
A técnica evoluiu, a prática contribuiu e muito! Mudou que agora me preocupo com o processo de construção, quando criança minha paixão era desenhar com caneta Bic azul, hahaha, porém esta não permite consertos... Agora tenho técnica para construir os desenhos etapa por etapa para chegar a um resultado final satisfatório. Mas ainda gosto de desenhar com caneta Bic, sem croquí e esboço, só pelo prazer de errar mesmo, ou pelo desafio de se desenhar sem a chance de conserto.

Qual era a história em quadrinhos favorita de sua infância?
Turma da Mônica!
cresci lendo, leio até hoje e adoro!

Você tem um estilo muito definido, ou é todo-terreno?
Meu traço pessoal é bem perceptível pra quem me conhece, principalmente pros amigos que também desenham, porém não muito definido ainda. Varia com o humor, com o dia, com a vontade.
Profissionalmente sou "pau pra toda obra", não hesito em aprender algo novo, fuçar em áreas nunca antes exploradas.

O que é o que mais te custa desenhar?
Antigamente, ANIMAIS. Porém peguei um job onde tinha que desenvolver personagens que eram animais do cerrado correndo risco de extinção. Sofri por uma semana e meia... mas aprendi!
Hoje em dia tenho meio que aversão a personagens que precisam ser feitos várias vezes, como em uma HQ, acho que não tenho aptidão pra trabalhos assim, contínuos, me enjoo facilmente.

Enquanto trabalha, que tipo de música você põe?
Depende muito. se quero criatividade prefito um Chillout, New Age, música clássica, algo talvez não cantado, somente instrumental, trilhas sonoras tem um espaço reservado no meu coração (destaque para as mais novas, de Wall-E e Avatar). E tem também Tycho (que merece um post inteiro no blog), um projeto musical do Scott Hansen, um designer sensacional, americano, suas músicas me inspiram bastante, entra aqui no site dele.
Agora, se preciso fazer algo, produzir, especialmente na madrugada a dentro, prefiro uma música agitada, que pode ser eletrônica, dance, rock, metal... escuto de tudo e me mantendo agitado eu trabalho rápido! =D

Sua obra de arte favorita?
Não sei responder essa. Gosto muito da Vênus de Botticeli... mas provavelmente vou me lembrar de outra daqui a pouco.

O que você faz quando o cliente diz simplesmente "não gosto"?
Mando pra…
Brincs, eu pergunto pq não gostou, pra saber o que não errar denovo, mas com um briefing bem passado isso raramente acontece.

Que novas técnicas você está experimentando ultimamente?
Tenho experimentado pintura em metal e azulejo, bem difícil, as tintas são complicadas.
Não é de hoje, mas venho tentando melhorar minhas técnicas de pintura digital e vetorização.
tenho testado também técnicas de aquarela e pastel, apesar de não ter me saído muito bem ainda. Outra técnica que eu quero talvez não dominar, mas talvez quem sabe domesticar, é a pintura à óleo, tenho algumas telas começadas e sempre tento treinar.

Que parte de seu trabalho você realiza em papel e que parte em digital?
Geralmente faço os esboços/roughs no papel e a finalização no computador... porém faço o inverso também, depende muito.

Como você se documenta para realizar suas ilustrações?
Primeiramente eu envio uma carta proposta para o cliente, com descrição detalhada do projeto, orçamento, quantidade, cláusulas e tudo mais.
Depois assinamos duas vias, pra manter documentado né?

Você tem colegas com quem compartilhar técnicas, truques, idéias?
Claro, acho digno isso. Trabalhar colaborativamente é ótimo. Participo também do deviantart, onde encontro sempre outros artistas, ilustradores e entusiastas para participar de alguns projetos ou desenvolver algo juntos.

Você tem metas específicas como ilustrador?
Ficar rico e ter uma cobertura triplex em Manhattan.

Que portais de ilustração você freqüenta online?
Frequento diariamente o deviantart.com , porém visito outros mais esporadicamente (preguiça de listar agora). Há um tempo tenho participado do grupo de discussão Ilustragrupo, e recentemente um dos usuários criou o Portal do Ilustrador, recomendo os dois!

Em que você está trabalhando agora?
No momento sou ilustrador e designer freelancer (autônomo), atendendo desde clientes diretos à agências de publicidade, estúdios de design, decoradores e tal. Faço bastante caricaturas para convites, paineis e lembranças de casamento e sou também editor de arte da revista Meio & Mídia Cult, onde faço toda a edição de arte e a maioria das ilustrações desde a edição 44 ( já está na 59).

O que você aconselharia a alguém que gosta de desenhar e que gostaria de viver disso?
Não parar nunca, praticar sempre.
Não desperdiçar as oportunidades.
Comer sucrilhos.