São Paulo, Maresias... aaah!

Quem me acompanha no twitter, deve saber que estive em Maresias e São Paulo no último final de semana (20 e 21 de agosto) para o workshop de tecnicas mistas do Montalvo Machado. Estou devendo esse post, com todos os scans possíveis e tudo que passei por lá.

Começando a viagem em Uberlândia, rodoviária. Perdi o primeiro ônibus da noite porque fiquei vendo novela enquanto esperava o horário, não dei atenção à plataforma e puff, passaram-se 15 minutos. Sorte que tinha um próximo e eu pude pegá-lo sem complicações.

Dormi que nem um bebê a viagem toda e quando acordei, vi aquela rodoviária grande e lembrei que já tinha estado lá. Pronto, devia ser São Paulo e eu tinha que descer correndo. Desci, guardei minha mala no guarda-volumes porque tinha que ir comprar umas coisas antes de ir pra Maresias às 11h30. Hora que fui procurar o metrô que fica junto à rodoviária, CADÊ! "Você está em Campinas, meu querido"....

R$ 32,00 e 2 horas depois, estava em São Paulo. peguei o metrô e desci na Liberdade, tomei café na Bakery Itikiri (mais conhecida como padaria da Sakura Card Captors) e comprei umas canetinhas Posca numa papelaria de badulaques japoneses.

Voltei a tempo de pegar meu ônibus pra Maresias às 11h30, mas entre plataforma 47 e 49, errei as duas... o ônibus parava na verdade, na plat. 42... perdi outro ônibus. O próximo saia sóóó às 18h30 e eu iria "perder" uma tarde toda em SP.

Perder tempo não era uma opção, saí correndo pro MASP e fiquei lá a tarde toda. Tava rolando exposições do acervo do museu, com temáticas definidas: Romantismo, Retratos, Mitos e uma restauração minunciosíssima de uma obra do Poussin.

Já arranquei meu sketchbook e me pus a desenhar:


Esse da esquerda foi o primeiro, é um quadro de Jean Baptiste Simeon Chardin. Não o conhecia, anotei tudo que vi lá pra pesquisar depois. A obra que tava lá era essa.
Quando eu tava desenhando a primeira, chegou uma horda de crianças em uma excursão escolar, quando vi, já tinham formado plateia em cima de mim, não preciso nem falar o tanto que fiquei com vergonha né? Minhas mãos começaram a suar e eu já procurei outro canto.

Ah... a do lado direito. Ver as pinturas do Lautrec na minha frente foi estranho, são a coisa mais linda do mundoooo! Os traços dele com tinta à óleo parecem canetinha.


Essa gordinha aí me encantou, o artista eu também não conhecia, era o Jean Marc Nattier, que pintava várias donzelas gordinhas e branquinhas, bem como senhores de cabelos perucas brancas e cacheadinhas.

O segundo é um retrato do Modigliani (Amedeo Modigliani, não sei de onde tirei aquele Reneé ali, provavelmente anotei o nome da moça que ele desenhou).

Tem umas anotações nas páginas que são do workshop mais adiante.


Essa moça bonita e nua é uma escultura da Vênus que prendeu bem uns 40 min. da minha atenção viu...

Essa outra bonita é de um quadro do Picasso, na sessão de retratos.


Na esquerda, um sketch rápido do quadro que havia sido restaurado: “Hymeneus travestido assistindo uma dança em honra a Príapo”. Estranho o nome né?

À direita já é a lareira da pousada toda estilo que nós ficamos em Maresias, com um milhão de anotações by Montalvo Machado.


O último desenho que fiz no MASP foi esse menino, pintado pelo George Romney quase me fez perder o horário do ônibus.

Ainda deu tempo de pegar a exposição do Keith Haring, que era ali pertinho... não sou muito fã, mas ver todas aquelas gravuras em cores fluorescentes e vídeos dele trabalhando, me fizeram sentir uma vergonha pequenininha de não gostar muito dos homenzinhos que ele pintava, haha.

No ônibus pra Maresias conheci o Leonardo (OLHA O PORTFOLIO DESSE CARA!!!) e o Arthur, dois feras que já tinham feito o workshop no ano passado e já me disseram ali mesmo que minha cabeça ia explodir no final de semana! hAHhahaHahaha

De madrugada fomos desenhar e chegaram Montalvo, Roberta, Zeh Otávio e o Joel e sua mulher... No sábado de manhã já começou o workshop e conhecemos o Tchaba e sua namorada (que disse que não desenhava mas deu um show em todas as técnicas vistas). Com explicações teóricas antes do almoço e após, a técnica de Oil Bar. Fizemos um monte de testes, como eu tinha só uma tela, eu tinha que fazer/apagar/fazer/apagar. A última e guardada pra posteridade foi essa, fruto de vários estudos de nus artísticos:



A noitinha foi regada à cerveja, praia e sketches:


Quase desenhei o Zeh... quase desenhei a praia... quase


A mesa era uma bagunça de canetinhas e materiais emprestados um dos outros,
aqui eu tava testando as Poscas, tem muita cerveja aí já...


A Posca cinza foi empréstimo do Leo, e eu já me arrependo de não ter achado o BIG NUNES na 25 de Março pra poder comprar a minha. #mimimi

A semi-careca ali foi fruto das explicações da Roberta sobre a Alopécia.


mais rabiscos com mais cerveja na cabeça. Essa da direita é a Flávia, a namorada do Tchaba!

Combinamos que no domingo de manhã voltaríamos à praia pra desenhar mais, dessa vez com luz do sol... tava difícil se concentrar no escuro + frio das 20h30. Chegando na pousada fomos surpreendidos por uma fogueira quentinha, caldo verde e pra finalizar: CANJICADA. MORRI!

Domingo cedo e mais sketches na praia:


Zeh, Arthur, Robertinha, Leo e Tchaba lá atrás...


Sol + areia + água + sal + vento gelado


Thumbnails com posca e um rabisco com direito a palavra escrita errada + aquarela.


Sketch Bitch Beach

A tarde do domingo foi toda dedicada à técnica de Oil Wash, divinamente instruída, e com um passo-a-passo mega meticuloso, achei o resultado final maravilhoso. Uma pena não ter ganhado a peça que o Montalvo fez, aqui está a minha em processo (ainda sem a fase final com tinta acrílica):


Ai que lixo de scanner. =/

Depois de quase perdermos o ônibus de volta a SP, chegamos sãos e salvos, e à tempo de pegar o últimíssimo metrô pra chegar em casa! Obrigado ao Zeh por ter me dado abrigo por essa noite! Aproveitei e conheci dormi no o estúdio dele, que é super bacana!

A segunda-feira foi de compras, nunca me senti tão rico e tão pobre ao mesmo tempo! A fada do cartão de crédito (como diz o Hiro) me esfaqueou!

Pela manhã, entrei no google maps e desenhei os arredores dos lugares que eu iria durante a tarde:



Peguei um pouquinho de uma palestra do Ilustra Brasil! Mas tive que sair correndo e pagar uma fortuna de táxi pra conseguir voltar e pegar o ônibus (perder a viagem não era opção).

Aproveitei o tempinho que ganhei pra fazer uns sketches na rodoviária com meus novos materiais:



Cheguei em Uberlândia a tempo de uma reunião logo cedo e com uma bagagem cultural e um aprendizado de alguns anos, posso dizer. O crescimento que rolou nesses 4 dias não é mensurável em qualquer palavra que conhecemos, tentei fazer com que os desenhos falassem por si.

Recomendo a todos, não só os workshops do Montalvo, mas qualquer investimento dessa natureza, que nos agrega sentimentos muito maiores do que simples aprendizado! Obrigado Montalvo, por ser tão ávido por conhecimento e mais louco ainda ao passar isso pra quem também tem sede por isso! Obrigado também à galera que me mandou msgs no celular, vendo toda a minha epopeia de ônibus e metrôs perdidos em sampa pelo twitter, hahaha....

Nunca escrevi tanto, também nunca desenhei tanto, mas acho que só assim pra fazer jus a tudo de bom que rolou! =)